• CONTENT
Décor

Dicas para escolher o piso ideal

Onde: Curitiba • 20 de Junho - 2022 | Fotos Guilherme Pucci

Madeira, pedra, porcelanato, ladrilho hidráulico, laminado, vinílico... as opções são muitas (e as dúvidas também)! Confira dicas para escolher o produto ideal para o seu projeto.

A escolha de um piso bonito e de qualidade faz toda a diferença na hora de decorar um ambiente - seja ele de uso residencial ou comercial. No entanto, é preciso escolher com atenção os tipos de materiais para cada espaço específico, sempre de acordo com as atividades rotineiras de cada um deles. O arquiteto Bruno Moraes, do escritório que leva seu nome, fez um "giro" pelos cômodos da casa – sala de estar, jantar, varanda, quarto, cozinha, banheiro, lavanderia e áreas externas –, para mostrar os tipos revestimentos recomendados para cada caso. Confira!

 

 

Área social, Salas de Estar e Jantar

 

Para salas de estar ou jantar, pensando na praticidade, vale investir em materiais como o da foto, em que o porcelanato reproduz o visual da madeira. Quem opta por pisos de madeira ou vinílicos para locais de alto tráfego precisa redobrar os cuidados com limpeza e manutenção no dia a dia. / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Guilherme Pucci

 

Para o piso dos ambientes da área social é essencial analisar a rotina dos moradores. Para locais em que há alto tráfego, especialmente quando moradores incluem crianças ou pets, a praticidade e durabilidade do material devem ser prioridade. Para estes casos, a principal indicação é o porcelanato, tanto pela facilidade de limpeza, como a manutenção simplificada no dia a dia. "Em contrapartida, como se trata de um piso mais frio, não trará o mesmo aconchego que a madeira e o vinílico, por exemplo. Tudo é uma questão de escolha!", lembra Bruno.

 

O porcelanato representa uma opção versátil para as áreas sociais. Neste projeto, a escolha foi por um modelo que imita cimento queimado / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Guilherme Pucci

 

A madeira é outra opção para os pisos da área social. A estética acolhedora e a nobreza do material chamam a atenção - porém, é importante lembrar, por mais resistente que esse material seja (mesmo com aplicação de resina), ainda há a possibilidade de sofrer algum tipo de dano ou risco com o uso diário. Gastos com manutenção, materiais de limpeza específicos e mão de obra qualificada para a instalação também devem ser considerados. 

 


 

Este living possui piso de madeira cumaru em toda a extensão. O resultado é muito elegante, mas requer uma dedicação maior no dia a dia / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Luis Gomes

 

Outros contratempos a serem considerados vão desde atividades do dia a dia que possam causar abrasão da madeira - como uso de vassouras, sapatos dos visitantes, unhas de cães e gatos, etc. - e as intempéries da natureza: se o piso estiver próximo à varanda, ou sujeito a umidade ou incidência direta do sol, pode acontecer de o assoalho ficar "empenado", mofado ou com folgas entre as tábuas. Se você quer evitar um piso de madeira rangendo ou com fissuras que acumulam sujeira vale salientar novamente: o cuidado será maior!

Por fim, embora muito usado atualmente, o piso vinílico demanda cautela na aplicação em alguns ambientes. Em salas integradas com varandas, por exemplo, se houver muita exposição ao sol ou à umidade, há chances de o material acabar manchando ou estragando. A vantagem é que o material oferece a aparência da madeira a uma fração do preço da opção real, permitindo a troca com frequência maior em caso de danos. 

 

Cozinhas e Lavanderias

 

Hoje em dia, infelizmente, algumas construtoras entregam os apartamentos com revestimentos cerâmicos bem porosos na cozinha. Por isso, é comum ver pessoas reclamando que, com o passar do tempo, o piso destes ambientes acaba absorvendo sujeira e dificultando a manutenção e limpeza. Por esse motivo pode ser uma boa ideia fazer a troca do revestimento cerâmico comum pelo porcelanato, que é mais resistente e impermeável. 

 

A cozinha é um dos ambientes mais vulneráveis ao derramamento de líquidos e outras substâncias. Dessa forma, é preciso investir em um revestimento que proporcione uma manutenção simples, como o porcelanato / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e fotos de Guilherme Pucci


Outra alternativa é o piso de pedras naturais resistentes, como o granito. Apesar de bonito e durável, o material geralmente custa caro e pode ser inviável para cozinhas mais espaçosas. O piso de concreto aparente - desde que tratado adequadamente - é outra alternativa que tem feito sucesso em projetos do mundo todo. Facilidade de limpeza, durabilidade, custo e apelo estético são alguns fatores que justificam o sucesso do material.

 

Mais um exemplo de porcelanato que imita a rusticidade da madeira, desta vez, na cozinha. Essa solução contribuiu para a integração entre os diversos ambientes do lar, que receberam o mesmo revestimento / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e fotos de Guilherme Pucci

 

 

 

A área de serviço é um dos menores ambientes do apartamento e, como uma área molhada, é um dos mais fáceis de sujar ou escorregar também. Por isso, é necessário escolher com cautela o piso para esse cômodo / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Luis Gomes

 

Geralmente as áreas de serviço tem espaço limitado. Além disso, por se tratar de um espaço dedicado à limpeza e armazenamento de produtos químicos (como água sanitária, graxa ou cloro) é preciso considerar a possibilidade de que os moradores acabem esbarrando nas paredes ou deixando escapar algum produto de limpeza. Dessa forma, é necessário pensar em uma manutenção simples para esse ambiente, que corre o risco de sujar com facilidade. Como a durabilidade é essencial neste ambiente, é interessante pensar em um piso cerâmico ou um porcelanato.

 

 


Banheiros



Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e fotos de Luis Gomes

 

Quando se trata de áreas molhadas, como banheiros, saunas e SPAs, eleger revestimentos não escorregadios é essencial. Sabendo deste fato, JAMAIS aplique no piso revestimentos de acabamento polido ou "alto brilho", ainda que o escolhido para a parede tenha esse aspecto. Para quem deseja usar o mesmo produto no piso e na parede, para trazer unidade ao décor, o arquiteto tem uma dica interessante: "Alguns fabricantes têm a mesma cor e estampa disponível para ambos, mas o revestimento do piso costuma ser mais áspero que o da parede. Ou seja, um deles é antiderrapante, enquanto o outro é liso", conta.


O piso do banheiro deve ser seguro para evitar possíveis escorregões. Por isso, há empresas que fabricam a mesma estampa tanto para os modelos lisos quanto para os antiderrapantes. Dessa forma, é possível investir no mesmo modelo para o cômodo todo / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e fotos de Luis Gomes

 

 

Quartos

 

Quartos geralmente são áreas pouco expostas à umidade e que necessitam de muito calor e aconchego. Além disso, por se tratar de um ambiente íntimo, estes cômodos não estão sujeitos à agitação que pode danificar os pisos da área social. Uma boa pedida são pisos de madeira ou vinílicos, que podem ser instalados e mantidos de forma mais tranquila. "Além de ficarem muito bonitos, é claro!", diz o profissional.

 

 

Neste quarto com closet, que foi feito para uma senhora na terceira idade, o porcelanato que simula a madeira deixa o ambiente agradável e propicia segurança para evitar quedas.

 

Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e fotos de Guilherme Pucci

  

 

Áreas externas, Piscinas e Calçadas

 

Na varanda, o fechamento com vidro evita as intempéries, especialmente quando o piso possui um material com menor resistência ao excesso de sol ou umidade / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Luis Gomes

 

Nos espaços abertos os pisos devem ter máxima resistência e durabilidade para suportar as intempéries e a ação da natureza. Modelos cimentícios ou cerâmicas com coeficientes de atrito bem altos (acima de 0,4 para áreas gerais e acima de 0,7 para rampas, áreas de piscinas e outros locais de maior risco), são as opções mais recomendadas. "Sempre busque por modelos antiderrapantes e de alta qualidade no mercado, sua segurança agradece!", orienta o arquiteto.

 

 

 

O cuidado deve ser redobrado com pisos para áreas externas, de lazer ou de piscina a fim de evitar acidentes / Projeto de Bruno Moraes Arquitetura e foto de Guilherme Pucci

  

As calçadas, por sua vez, são o primeiro contato da residência com o meio externo. Por essa razão, é muito importante escolher opções adequadas ao entorno e à identidade visual do imóvel. O arquiteto Bruno Moraes  recomenda a utilização do piso intertravado nas calçadas, eis que esse modelo possui uma porcentagem de permeabilidade que ajuda a absorver a água e evitar problemas com o escoamento das chuvas. Finalmente, vale destacar que o revestimento errado para a calçada pode implicar em riscos para os pedestres e problemas para os proprietários - legalmente responsáveis caso alguém sofra um escorregão ou acidente. Nessas horas, mais do que nunca, investir em qualidade é garantia de sossego. 

 

Confira mais imagens em nossa galeria e acesse as notícias relacionadas para mais dicas sobre o tema! 

Comentários
Deixe seu comentário

Identificação X
entrar usando o facebook