• CONTENT
Onde morar

A era do bem-estar no mercado imobiliário

Onde: Curitiba • 03 de Março - 2020 | Fotos Divulgação

Viver mais (e melhor) dentro da própria casa é a tendência mundial que a incorporadora AG7 traz para o o Brasil, transformando empreendimentos de luxo em verdadeiros oásis para moradores.

Tempos de conectividade, de abundância e de busca pela superação das necessidades - as chamadas “experiências”. No mercado imobiliário atual não é mais suficiente oferecer o “mais do mesmo”. Os consumidoresestão em busca do novo, e um novo que traz propósito, valor, faz bem para o corpo, para a mente, para a saúde e para o mundo. Essa é a nova realidade, que já tem nome na indústria imobiliária: o chamado Wellness Lifestyle Real Estate. Esta indústria nascente reconhece estes desafios para a saúde e coloca o bem-estar das pessoas no centro da concepção, design, criação e replanejamento de lares e bairros.

De acordo com a médica e sócia-executiva da incorporadora AG7, Dra. Andressa Gulin, nas últimas décadas o estilo de vida de grande parte da população foi impactado pela busca desenfreada de produtividade, eficiência e velocidade. “Isso teve um grande impacto na qualidade de vida e hoje vemos o resultado disso em um mundo mais ansioso, sedentário e estressado. Saúde e tempo se tornaram itens de luxo”. Segundo ela, a saúde virou vítima dos ambientes construídos para a agilidade do mundo contemporâneo. “Cidades planejadas para carros, alimentos condimentados para um mundo sem tempo, vícios socialmente estimulados e uma desconexão social dos hiperconectados. Não há dúvidas que para viver melhor, precisamos novamente adaptar nossos ambientes para estimular um estilo de vida mais saudável, inserindo qualidade de vida no dia a dia das pessoas”, completa.

Hoje, acredita-se que o bem-estar está se tornando o novo luxo. A indústria de US$ 3,7 trilhões do "wellness" já vem crescendo mais que a economia global: as residências serão as próximas impactadas pelo movimento, já que as casas, comunidades e vizinhança afetam diretamente o comportamento e estilo de vida dos indivíduos. Não se trata apenas de curar construções doentes, mas de incorporar elementos que ajudem os residentes a otimizar sua saúde em termos de sono, vitalidade, humor e saúde mental (por exemplo maximizar o uso de luz natural, aumentar o tempo de exposição à natureza, usar iluminação circadiana, utilizar tecnologia que monitore e otimize a qualidade do ar indoor, etc). Já dizia o renomado médico indiano, Deepak Chopra à Forbes: “A vida biológica é a próxima revolução no setor imobiliário”.

Vimos na última década o conceito de sustentabilidade crescer de forma expressiva na construção civil. Segundo pesquisa realizada em 2018 pela U.S. Green Building Council (USGBC), o Brasil ocupa a 4º posição entre os 10 países que mais desenvolvem construções sustentáveis. O índice é avaliado pela certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) e o país possui 460 empreendimentos, que totalizam quase 15 milhões de m² construídos de forma sustentável. Entre eles, está o ÍCARO Jardins do Graciosa, residencial mais sustentável do Brasil, localizado no bairro Cabral em Curitiba (PR).

Hoje, o desafio das incorporadoras está em ir além do impacto ambiental e olhar para o impacto fisiológico do ser humano. Ao considerá-lo em todas as suas esferas como fundamento para a concepção de espaços, soluções arquitetônicas surgem para impactar de forma positiva a vida dos moradores. Dados já registram que o setor imobiliário de bem-estar cresceu US$ 134 bilhões em todo o mundo e segue crescendo rapidamente. Em Curitiba, a incorporadora AG7 materializa esse conceito em seu novo empreendimento de luxo que chega ao Ecoville e será lançado no primeiro semestre deste ano, o AGE 360, em parceria com o escritório franco-brasileiro Triptyque Architecture. O projeto será um dos primeiros do mundo a ter a certificação Fitwel, desenvolvida por especialistas em saúde e design do governo norte americano, que utilizaram mais de 3.000 estudos científicos em busca de estratégias direcionadas a construção de edifícios mais saudáveis, que permitem melhor qualidade de vida para seus moradores e usuários. Andressa Gulin é uma das primeiras médicas da América Latina a receber a certificação Fitwel Ambassador e também participou da elaboração do projeto. Segundo ela, a boa arquitetura traz saúde. “Está na hora de começar a tratar os nossos lares como um investimento ao nosso bem-estar e na nossa saúde, e não apenas financeiro. O crescimento desse setor vai impactar o mercado de real estate, wellness e saúde de uma forma que ainda não conhecíamos”.

O edifício conta com 33 unidades exclusivas, apartamentos de 205 a 610 m², com uma das vistas mais lindas da cidade. O projeto está em fase de pré-lançamento. Para saber mais sobre o novo empreendimento, acesse: https://age360.ag7realty.com.br/.

 

Galeria
Comentários
Deixe seu comentário

Você também vai gostar
Identificação X
entrar usando o facebook